quarta-feira, 20 de junho de 2018

02 - POESIA VIVA * Meus versos


TEMPO DE SORTILÉGIO
.
Meus versos

(Ícaro, Chagall)


Pediste-me um poema original

como se eu fosse um mago jardineiro

cuidando com desvelo, num canteiro,

de raro e fascinante roseiral.



Quem dera eu fosse o mágico poeta

que em rosas as palavras transfigura!

Vermelhas rosas ébrias da ternura

que dissimula uma paixão secreta.



Dos deuses enjeitado, como ousar

as siderais alturas onde os astros

são círios a velar ainda Orfeu?



Perdidos neste chão de malmedrar,

meus versos são efémeros os rastros

de quem não teve a graça de voar...




José-Augusto de Carvalho
20 de Junho de 2018.
Alentejo * Portugal

Sem comentários: