terça-feira, 14 de agosto de 2018

02 - POESIA VIVA * Invocando Orfeu


(...E CONTIGO EU MORRI NESSE DIA!…) 
Invocando Orfeu 




Entardece. 

Nos acordes suaves da aragem, 

vem a morna mensagem 

que o sol-pôr entretece. 



Nos teus olhos tão verdes de mar, 

deslumbrada, a magia da cor 

extinguiu-se esperando o pintor 

que a ousasse pintar. 



Se não houve talento bastante, 

a Pintura perdeu. 

Que este verbo, a sonhar-se de Orfeu, 

te resgate do olvido e te cante!... 



E na dádiva estreme de ser, 

que pulsou no teu peito e no meu, 

há o sonho que nunca morreu, 

porque o sonho não pode morrer… 






José-Augusto de Carvalho 
12 de Agosto de 2018. 
Alentejo * Portugal

Sem comentários: