quinta-feira, 6 de setembro de 2007

06 - ROMANCEIRO * Rebeldia



O relógio parado!
Há um tempo de assombros
neste fardo pesado,
esmagando-me os ombros.

Quando um número primo
do comando, a pantalha enrubesce
e, no fundo do pântano, o limo
é notícia e floresce.

É urgente o momento total,
situando um presente sem muros,
e um jogral
prevenindo os futuros!

É urgente
sermos gente!



José-Augusto de Carvalho

Viana * Évora * Portugal